dezembro 03, 2016

Um novo atentado a mesma lenga-lenga

O atentado na Universidade de Ohio teve a reacção costumeira da malta negacionista. O rapazinho, auxiliado por organizações cristãs que cuidaram da sua integração, atirou o carro para cima dos colegas estudantes e saiu com uma faca de talhante para acabar com os restantes e cumprir os mandamentos do profeta louco.

Enquanto se espera ainda que os muçulmanos venham lamentar o ataque a comunicação social encheu-se de receios por causa da islamofobia, de possíveis represálias e uma das dhimis da CNN até colocou um véu. 

Estado de saúde das vítimas? Ninguém falou! Que mesquita frequentava o talhante ninguém soube! Que regalias tinha o refugiado para estudar numa Universidade, que são caras nos EUA e muitos americanos não as podem pagar, ninguém procurou saber!

Os da Califórnia, ajudados por vizinhos a levarem a vida, ficaram aborrecidos por ver decorações de Natal e mataram quem os tinha ajudado.

Eles odeiam as mulheres, o que elas vestem e como se vestem, eles odeiam o álcool, eles odeiam o porco, eles odeiam os cães, eles odeiam os cristãos, os judeus, os muçulmanos, os hindús, eles odeiam a democracia, eles odeiam as esplanadas, eles odeiam os espectáculos, a música, os museus ... eles odeiam tudo e tudo querem dominar.

Eles odeiam-nos .... ponto final. Eles anseiam repetir na Europa a guerra de conquista e de domínio que sempre levaram a cabo durante mais de 1300 anos. Será mais fácil que qualquer outra conquista... a democracia, a tolerância induzida, o povo domesticado pela comunicação social, as garantias, os infiltrados e os traidores entre nós tornarão a tarefa mais rápida e mais eficaz que alguma vez foi. Farão o que fizeram ao Líbano depois da Jordânia os expulsar: dominaram o país em 3 décadas.

Seremos exterminados sem apelo nem agravo se não reagirmos. Isto não é islamofobia é instinto de sobrevivência.

Boletim Cínico

Costa carregou contra o Governo anterior pela supressão do feriado do 1º de Dezembro. Costa fez parte de um governo que assinou um resgate do país e assinou precisamente a supressão destes feriados mas, deslavado com sempre foi e é, nada o impede de proferir estas barbaridades.

O Povo come tudo ...  basta lançarem-lhe umas moedas.

O meu lamento é não terem trocado o 25 de Abril com o 1º de Dezembro.

novembro 30, 2016

Bons dias

... proibidos em Cuba desde a morte do tirano.

O machista mais machista de sempre ...

... coincide com o progressista mais moderno.


Yo hago lo que quiero tenga o no dinero

Foi numa visita a Ávila onde me esfolaram duas dezenas de Euros para dar um passeio pelas muralhas. Almoçámos perto da Plaza Maior que por ali é bem pequena e num dos raros sítios onde se come qualquer coisa decente para lá da raia depois da Guarda.

Andava um Trovador, um pedaço de homem (digo eu que percebo pouco de homens), um "cuerpazo", com uma bela fatiota, uma imitação de cutelo à cintura, uma viola e um vozeirão tremendo. E o homem trovava, trovava para ganhar uns cobres na esplanada ... umas canções românticas: "la vida es como una piedra, rolando, e rolando, e rolando" e outras.

Passou uma Sra:
- De onde es usted, Senhorita? (trovejou o artista)
- Soy de Cuenca (sibilou a senhora)
- De Cuuuueeenca? Que tengo um buen amigo em Cuenca!

Pediu uma moeda e teve sorte.

Mas a canção que mais entoou dizia:

"Yo hago lo que quiero tenga o no dinero": muito me faz lembrar o Costa e o seu governo. Sem dinheiro consegue "fazer tudo" não sabemos é onde guarda as contas a pagar.
 


novembro 29, 2016

Quem poupa o inimigo às suas mãos vai cair

O PSD não foi capaz de votar em peso contra o voto de pesar pelo assassino e tirano Fidel Castro: uma cuspidela no túmulo de muitas vítimas do paranóico "lider". Marcelo a mesma reverência por aquele estrume do Caribe.

Recordamos que Vaclav Havel também foi objecto de um voto de pesar pela sua morte. Vaclav Havel foi presidente eleito, não foi terrorista, não matou nem escravizou um país durante décadas. Contudo o PCP votou contra.

Falta a esta casta política coragem, convicções e coerência: não podemos confiar nestes trastes. O meu desprezo por mais esta barbaridade e, com estes merdas na AR, um dia seremos um gulag.

Never Forget: Um tiro que saiu pela culatra

Quando negacionistas do Holocausto prometeram um prémio de 50000 dólares a quem demonstrasse que pelo menos um judeu tinha morrido nas câmaras de gás do social-comunista Hitler e desafiaram alguém para isso. 

Mel Mermenstein, um judeu húngaro e ex-prisioneiro num campo de concentração nazi, aceitou a tarefa mas não desafiou abertamente a organização revisionista que o provocava.

Habilmente preparou um cenário e as necessárias provas  que lhe permitiram ir a um Tribunal de LosAngeles reclamar o prémio. O Tribunal considerou válidas as provas apresentadas e obrigou os engraçados a pagar os 50 000 dólares e outros 40 000 dólares por danos e prejuízos. Tiveram ainda que apresentar uma carta de desculpas.

A história completa aqui.

Os papéis do Panamá deixaram de navegar?

Qual a razão dos Panamá papers, tão prometedores para um glorioso "consórcio de jornalistas" para massajar o ódio e o ego da esquerda, de repente perderem o encanto e interesse que tanto prometiam?

 

 

novembro 28, 2016

TVI: um tratado à arte de (des)informar

Hoje a TVI mostra o que é:
  • O atentado à universidade de Ohio, feita por um "homem" abatido pela polícia, foi dado de corrida. Sobre o homem ... nada, absolutamente nada! Desconfiei logo e fui procurar. Era um estudante universitário, muçulmano e refugiado. Polícia investiga as motivações!
  • A TVI ouviu os refugiados de Alepo, que fugiram para zonas dominadas pelo exército sírio,  a dizerem mal do ISIS. A TVI insinuou e desconfiou da sinceridade destes refugiados mas acreditava piamente quando estes, nas zonas controladas pelo terroristas, diziam mal do regime sírio.  
É isto que temos. Desprezo-os. São nojentos!