agosto 28, 2013

Lorenzo e a relatividade Lorentziana

Uma divertida crítica à cretina força moral emprestada pela Judite que rapidamente soube avaliar o relógio e restantes adereços do endinheirado Lorenzo. A habitual catilinária associada à superioridade moral que a esquerda pensa possuir: intercalar as misérias pungentes na sociedade para desencadear pena e raiva e depois oferecer um alvo à raiva na pessoa de alguém que vive melhor que o próprio entrevistador.

Sendo a Judite uma notável coleccionadora de relógios caros, malas caras e sapatos caros nada como passar despercebido com encenações trágicas.

Quanto ao Lorenzo: gasta miúdo. Gasta na discoteca (dás emprego a barmans, a seguranças, às mulheres da limpeza, à indústria cervejeira, etc), gasta em viagens, em táxis, gasta. Gasta muito e não sejas forreta como o Luís Filipe Menezes que pelos vistos tem "sensibilidade social" que afinal deve ir de férias em tempo de eleições.

2 comentários:

John Oliveira disse...

Morte aos ricos! Miséria para todos! Bóf!

Esta cavalheira, dois dias volvidos sobre este elogio público da inveja, pôs a mansão à venda!

Israel Bloom

FireHead disse...

O Lorenzo sempre ajuda a economia nacional. :)