março 19, 2015

Dia do Pai

Um abraço a todos os pais a quem a Justiça trata como progenitores de 2ª categoria e muitas vezes vítimas de uma violência doméstica que não deixa marcas físicas.

A tortura de se verem afastados dos filhos, tratados como criminosos e vitimas da frequente inflexibilidade e vingança feminina que é porventura mais cruel e duradoira que outra qualquer. Estas vítimas são abandonadas à sua sorte: não há campanhas, comoções, palavras amigas ou lares refúgio.

Resta viver com a dor e o desprezo o tempo inteiro.

2 comentários:

FireHead disse...

Na verdade o dia do Pai são todos os dias, tal como todos os dias são dias da Mãe ou dos namorados.

Um bom fim-de-semana.

Unknown disse...

Basta as mães (por mais canalhas que sejam - que as há!) irem à pedopsiquiatra hippie da televisão, uma tal Ana Vasconcelos, ou outras equiparadas, que o parecer é 'a la carte'. Se pedirem a essas feministas extrema-esquerdistas para dizerem que o pai é o próprio demo, elas dizem. E lá fica o pai privado dos seus direitos.

Uma gaja que eu conheço (que é uma gaja, não é uma mulher!), da mesma fileira cultural e política, não pára de suspirar pelo dia em que a partogénese seja uma realidade e os homens possam ser finalmente descartados. Nem para a reprodução serviremos.

José de Jesus