março 19, 2018

Prossegue o circo Marielle

Umas dezenas de pessoas e de "alguns partidos", LGBTs e outros que tais manifestaram-se em Lisboa por causa da Marielle com o discurso alucinado de sempre: mataram por causa do racismo, porque era socialista, porque era comunista, porque protestava contra as injustiças, por causa do golpe, porque ... enfim.

Quem eram as pessoas dos partidos: filha de um terrorista que matou e outras figuras que apoiaram e apoiam o regime de Caracas onde recentemente um homem foi executado por protestar dizendo que tinha fome: um tiro na cara matou-lhe a fome! Protestos? Nada. Não devia ser de esquerda, não era comunista e se calhar ter fome fazia dele racista.

Quem eram as pessoas dos partidos: alguns que apoiaram as FARC. FARC que intersectavam camionistas a ganhar o pão, cortavam-lhes a garganta e puxavam a língua pelo buraco no pescoço. Protestos, indignação? Nada! As FARC foram a eleições e tiveram 0.5% de votos? Alguém soube? Não.

Crianças morrem de fome e doença em Venezuela onde todos os dias são assassinadas dezenas de pessoas. Todos os dias morrem pessoas por falta de atendimento médico ou medicamentos! Protestos? Nada.

Não morreu por causa do racismo, nem de ser preta (que não era) nem de ser comunista, ou lésbica, ou o que seja. Morreu como dezenas de milhares que morrem no Brasil e onde quem mais mata e quem mais morre até são não brancos e os assassinos não perguntam nada antes de matar.  Morreu como morrem polícias e pessoas do povo normais -não vereadoras, não de esquerda, sem motorista e sem segurança- mas há mortos que valem e há mortos que são estrume.

Morreu por causa de Dilmas e Lulas, contra os quais não protestou, os quais com vastíssimos recursos prometiam acabar com a favela e com a miséria e a criminalidade mas fecharam os olhos, enriqueceram, enriqueceram amigos e deixaram porcaria sem fim.

1 comentário:

Ricardo Amaral disse...

Já nem consigo comentar tal circo(se fosse branca e não esquerdista onde estavam essas gentes?pergunta retórica esta pois temos vários casos de portugueses assassinados nos últimos tempos por não brancos e só vemos silêncio em lugar do habitual chinfrim contra as "injustiças")mas vou tentar em nome da sanidade mental.O circo na Europa(e por cá)ainda não chegou aos níveis do Brasil(que passa todas as marcas,depois temos os EUA logo a seguir)mas por este caminho não faltará muito(tendo em conta a "educação" neomarxista/liberal-cultural que temos em vigor e em vias de se "propagar" ainda mais qual sarampo)