fevereiro 19, 2013

Os silenciadores

Começa a cansar a perseguição tenaz que Relvas está sujeito sempre que tenta falar ou dar uma opinião. Ocupam espaços privados que tomam como seus para uso do insulto, da intimidação e do silenciamento forçado. São seguramente pessoas que perderam toda a razão e convivem mal com a democracia. Estou certo que estas brigadas chekistas itinerantes -imitando implacáveis polícias políticas- estão conotados com forças políticas que não permitiriam estes arrufos indecorosos se fossem poder.

Estas atitudes tomadas num contexto de Estado de Direito (que não é o deles) deixaria antever o que aconteceria se os mandantes fossem poder: usariam mais que o silenciador.

As musculadas ou esganiçadas acusações de fascismo só podem deixar saudades à ordem e ao respeito que era regra antes destas criaturas terem espaço suficiente para vomitar palermices e incomodarem quem assiste aos eventos que eles boicotam. 

É igualmente lamentável o conluio das TVs com estes chekistas: aparecem sempre para lhes dar voz e imagem. Ao emparelharem gozosos estas alambicadas contra a convivência democrática os jornalistas prestam um péssimo serviço à sua causa. Nos 20 anos da TVI estes órgãos queixam-se que o dinheiro é pouco! Parece-me antes que o gastam mal. Apetece-me ainda rir ao ouvir Cebrian a debitar inanidades sobre jornalismo.

1 comentário:

FireHead disse...

É a liberdade de expressão. Ou será antes "libertinagem de expressão"?