abril 25, 2014

Onde é que eu estava no 25 de Abril de 1974?

Andava no Liceu. Que me lembro do 26 de Abril?

  • Aumento da criminalidade
  • A palavra fascista centenas de vezes repetida e que nunca tinha ouvido antes
  • Um tragédia de familiares que regressaram das províncias ultramarinas
  • Um matraquear incessante de canções -gaivotas, povos unidos, grândolas, etc- e de marchas militares pela radio
  • Notícias de prisões de fascistas, de PIDEs, de empresários, de nacionalizações, de ocupações
  • Escassez de produtos, inflação galopante e uma nova palavra "açambarcadores"
  • Ouvia também "reacção", palavras e atitudes contra os católicos incluindo o meu pároco
  • Aumentos salariais com retroactivos que arruinaram empresas em poucos meses
  • Autogestões, comissões e saneamentos
  • Aparecimento massivo de drogas
  • Notícias sobre latifundiários, reforma agrária, queima de jornais etc
  • Barreiras nas estradas
  • Paredes pintadas e estragadas com insanidades incluindo monumentos nacionais 
  • O pânico de meu pai, imigrante muito pobre, com medo que lhe ocupassem a casa que tinha recentemente construído e era a única coisa que tinha por cá de valor
  • Quebra de disciplina, assédio e insulto gratuito e impune aos professores
  • Intimidação, terrorismo e mortes
  • Passagens de ano administrativas.
Pobre Portugal que trocava distinto político e académico.


por aqueles "Vasquinhos do Marxismo"

2 comentários:

carneiro disse...

E a UEC ? os guardiões-mirins do poder soviético em Portugal ?

FireHead disse...

LIBERDADE é assim.