fevereiro 14, 2009

24 Horas de Infortúnio

Malato, ex-radialista e apresentador de concursos também pretende ser feliz nas páginas finais da revista 24horas. Nas férias de Natal, entre uma literatura velha e cheia de pó na casa de familiares, lá para o Norte encontrei um exemplar. Malato estava um pouco incomodado com os pensamentos do Papa sobre a homossexualidade e escreveu um tosco artigo à volta do assunto, se calhar a partir do seu monte alentejano.

Começou então por lembrar a Inquisição que é uma arma de arremesso velha. Não vale a pena a Igreja ter pedido perdão por este triste período. Não vale a pena a Igreja ter dado tanto mártir (Espanha, Rússia, América Latina, África, etc) e tanta vida pelos outros. Não vale a pena apresentar provas que a Inquisição passou despercebida em muitos países do Norte da Europa e em Espanha foi mais uma ferramenta política que religiosa pois até o Clero foi vítima.

A vista é curta e não passa além de Badajoz, ali tão perto. Em Espanha é a Igreja, onde foi perseguida ferozmente e agora é também vilipendiada, que alimenta muitos milhares de esfomeados e abriga os imigrantes (que agora são demais). Logo num país governado pela esquerda que apresenta como bandeiras estas causas das minorias e cria maiorias com milhões de pobres.

Malato conta então uma anedota com o Clero. Mas podia ser sobre alentejanos, espanhóis e portugueses, etc. A anedota afinal nem tem graça ou, como dizia a minha avó “tem uma graça como uma cabaça”.

De seguida culpa a Igreja, por não patrocinar o preservativo, da disseminação da SIDA excluindo obviamente a moral sexual subjacente. E esta culpabilização acaba por ter graça pois a doença até nem afecta significativamente as comunidades cristãs. Está provado que a disseminação da SIDA partiu da comunidade homossexual (à qual aliás está ainda praticamente confinada na Europa) e que a contracção da SIDA é mais fácil em relações homossexuais que heterossexuais. A SIDA merece agora campanhas desproporcionadas de prevenção e investigação científica em prejuízo de outras doenças que afectam a humanidade e, a pretexto dela, são cometidos verdadeiros atropelos na formação da sexualidade dos jovens.

Merecia a Humanidade agora também um pedido de perdão por parte dos activistas homossexuais pois as vítimas serão muitos milhões. Merecia a Igreja um respeito e carinho igual àquele que dedica aos homossexuais.

O artigo prossegue com observações de águias a esventrarem coelhos e atitudes de quadrúpedes no monte alentejano do abastado autor. O Papa é convidado para ir ver estas maravilhas. Pois assim seja. Pode o autor dar aos seus quadrúpedes, para estudo cuidado, as reflexões do Papa já que o dono não as sabe interpretar ou não as quer ler com inteligência. Quando o estudo estiver terminado e anotado tentar-se-á agendar a visita.

No tempo em que andava de calções e esmurrava os joelhos no McAdam passavam por mim uns burros com umas palas nos olhos. Hoje em dia são inúmeros os espertos a quererem-nos aplicar as ditas palas.

7 comentários:

Anónimo disse...

¿ Ya no presenta programa TV con Merche Romero?

Lura do Grilo disse...

Merche era muito problemática e abandonou a TV. Agora vai voltar de novo para trabalhar com outro apresentador.

Anónimo disse...

Merche tiene un "feitio bocado espanholado"........

Lura do Grilo disse...

Muita juventude ainda

Anónimo disse...

Amigo Lura do Grilo: admiraba yo mucho a Fátima Campos Ferreira; pero tuve noticias de que estuvo "muy borde" con José María Aznar en un programa "Pros y Contras";le mandé un e- mail "echándole un broncazo" a la presentadora de Valença do Minho, y me contestó abroncándome a mí también......
Saludos.

Margarida Pereira disse...

Cá está uma desvantagem de não se ler toda a 'literatura'...; desconhecia semelhante.
Até simpatizava com a figura bonacheirona, comunicativa, simpática. Contra outras opiniões, que sempre considerei preconceituosas.
Enfim...
Na verdade, não assisto aos seus programas; apanhava umas passagens, no frenesim do 'zapping'.
Uma gargalhada aqui, um sorriso acolá, uma abraço ocasional...
Pareceu-me afectivo e dedicado.
Isto anda um mundo enganador. Não é que as pessoas não sejam o que parecem.
A questão é que são outras coisas, além do que parecem...

Lura do Grilo disse...

Fátima Campos Ferreira faz uns programas convenientes para o mainstream... e o situacionismo ... mais nada. O programa dela "Prós e Contras" já lhe chamam "Prós e Prós".
Não se aprende nada. Ri-me muito com o João Miranda no seu blog Blasfémias a criticar quase em directo uma das sessões.