março 03, 2016

É apenas por acaso certamente

Os maiores crimes contra crianças, contra homens e contra mulheres tem invariavelmente nas traseiras padrastos, madrastas, companheiros, companheiras, divórcios, novas relações e outras virtudes sociais ligadas à fragilidade para a qual a família foi empurrada nestas últimas décadas.

Afinal o Estado é isso que quer para se fazer notado: alguém para sinalizar, alguém para proteger, alguém para intervir. Dividir e quebrar para aparecer de seguida como árbitro e salvador. O sofrimento pelo meio é apenas uma distracção e lava daí as mãos.

1 comentário:

FireHead disse...

A sério? E eu a pensar que a maioria dos crimes cometidos contra crianças são dos padres. Aliás, todos os crimes cometidos contra crianças são dos padres. :/