agosto 11, 2015

Atraso mental e civilizacional dos moamedes

Father let daughter drown rather than be rescued by male lifeguards because it would 'dishonour' her

2 comentários:

Unknown disse...

http://amigodeisrael.blogspot.pt/2013/12/mulher-que-vai-ao-mar-vai-adulterar.html


Esta fatwa é uma reminiscência doutra, vinda do Iraque, em 2007: "Al-Qaeda alertou os vendedores ambulantes para não colocarem os tomates ao lado de pepinos, porque os vegetais são de diferentes géneros".

- Obviamente que estas coisas só acontecem porque nós, os ocidentais malandros, andamos a «roubar os recursos» aos pobres dos muçulmanos - seja lá isso o que for...

"Fatwa: As mulheres que nadam no mar cometem adultério e devem ser punidas"

Índia Today, 28 de Novembro

"Quando uma mulher vai nadar, como a palavra de 'mar' é masculino, quando a água toca as partes íntimas da mulher, ela torna-se uma 'adúltera' e deve ser punida"

- Resumo de um relatório intitulado "As fatwas equivocadas da Irmandade Muçulmana e dos Salafistas", conforme publicado no Al Masry Al Youm.

Um relatório de um comité criado pela Al Azhar, uma das universidades islâmicas mais antigas e prestigiadas no Cairo, para estudar as fatwas emitidos pela Irmandade Muçulmana e pelos salafistas, revela como os islâmicos vêem as mulheres.

As conclusões do relatório da comissão foram publicados no jornal egípcio Al Masry Al Youm. Ao todo, a comissão estudou 51 fatwas emitidas pela Irmandade e pelos salafistas durante o mandato do presidente Mohamed Morsi.

De acordo com o relatório, "as fatwas emitidos por ambos os grupos (Irmandade Muçulmana e salafistas) consideram as mulheres como criaturas estranhas que são criadas exclusivamente para o sexo. Eles consideraram as vozes das mulheres, a sua aparência e presença fora dos muros de suas casas, como 'uma ofensa'. Alguns até foram tão longe a ponto de considerar a mulher como uma criatura ofensiva de todo".


Outra fatwa proibiu as mulheres de "comerem certos vegetais, ou mesmo tocarem em pepinos ou em bananas", devido à sua aparência fálica, que poderia levar as mulheres para o caminho errado.

Outra fatwa dirigida às mulheres mandava-as "desligar os aparelhos de ar condicionado em casa, na ausência de seus maridos, pois isso poderia indicar aos vizinhos que a mulher está sozinha em casa e qualquer um deles poderia cometer adultério com ela".

Outras ordens contidas em fatwas aconselhavam o casamento de meninas de até 10 anos de idade, "para impedi-las de se desviarem do caminho certo".

Outras meninas foram proibidas de ir à escola se esta se situasse a mais de 25 km de distância de suas casas.

Outra fatwa ditou que o casamento de um casal seria anulado se este copulasse sem roupa.

Curiosamente, uma fatwa que fez manchetes em todo o mundo, foi emitido pela universidade Al Azhar, e apelava para que as mulheres "amamentassem conhecidos homens, tornando-os, assim, parentes, e justificando a sua sociedade de economia mista". A fatwa foi, no entanto, mais tarde, retirada. (...)


FireHead disse...

E o pior é o atraso mental das pessoas que, ao comentarem esta notícia, dizem que todas as religiões são iguais...