setembro 19, 2009

Os pobrinhos neo-retros

Depois de dar o TGV como um direito, a Juventude Socialista acha que a família não é um espaço de excelência para gerar e educar as novas gerações.

Ressuscitam a teoria da geração espontânea. As crianças não vêm sequer de Paris no bico da cegonha. Vêm então como os ratos na teoria da geração espontânea: deixam-se uns montes de trapos sujos com restos de comida no caixote e … já está. Depois vão à vida... .

Vamos dar um salto à Andaluzia. A Andaluzia é um feudo do PSOE desde duas décadas e tudo é dominado por um vespeiro político decadente e demente. O empobrecimento tem sido notório, contudo os grandes do partido compram empregos para os filhos com dinheiros públicos e financiam-se faustosamente com esquemas criativos. Quase todos os dias aparecem escândalos de arrepiar os cabelos.

Entramos nesta página da Junta da Andaluzia orientada para as crianças. Aparecem umas canções de embalar e uns textos cheios de boas intenções para os meninos. Ficam sempre bem em qualquer papel e em qualquer boca, mas tornam-se complicados de cumprir. Desde logo um é o direito a uma família e a ser amada e educada: um requisito essencial como é evidente.

Depois há a parte doutrinadora para "Madres y Padres" onde logo aparecem “Os novos modelos de famílias”. “Otras formas de familia distintas al matrimonio convencional entre hombre y mujer han existido en todas las épocas, pero es ahora, en las sociedades modernas, cuando se hacen más visibles y conforman una realidad de la cual las leyes y la sociedad comienzan a tomar conciencia.”
Existiram em todas as épocas -como aliás a gripe, o sarampo, a tosse convulsa e os piolhos- mas “agora é moderna” porque acham que sim.

“concepto nuevo que ha superado al tradicional de matrimonio entre hombre y mujer. Ahora se abre un amplio abanico de casos que van desde las familias monoparentales compuestas por un adulto con sus hijos e hijas, matrimonios de personas del mismo sexo, familias formadas por parejas de hecho del mismo o de distinto sexo, familias con hijos adoptados, familias reconstituidas y un largo etcétera

Negam portanto à criança a primazia de ser criada preferencialmente com o pai e a mãe numa tarefa comum cada um com a sua responsabilidade insubstituível, e num equilíbrio essencial de distintas sensibilidades, para o seu completo e harmonioso desenvolvimento. Negam uma solução provada e comprovada na formação de jovens que melhor resistem a cair em becos sem saída que conduzem à pobreza e degradação humana -delinquência, droga, prostituição, violência, racismo, egoísmo e largos etc. Negam a verdadeira família no seu aspecto mais progressista: encaram o ser humano como uma abelha de colmeia.

Tanta indigência intelectual (ouvida a Jimenez Losantos), tanta tacanhez , tanto preconceito e, sobretudo, tanta superficialidade bacoca!

3 comentários:

filomeno2006 disse...

La revista "Época", dirigida por el gran Carlos Dávila, también realiza importantes reportajes sobre la Andalucía de Chaves. Por cierto, Dávila ( próximo director de La Gaceta de los Negocios) creo que fue el "inventor" del término "indigente intelectual", referido a Zp.......
Saludos.

Lura do Grilo disse...

Época creo no hay para comprar em Portugal.

filomeno2006 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.