janeiro 31, 2015

O tempo dos doidos

Enquanto o poder político parece ter uma tendência crescente para ir parar às mãos de um grupo de garotos, nascidos e crescidos em berço de ouro, a comunicação social esquece o que estes populismos ,em nome de Utopias bem conhecidas, já produziram.

Veja-se o desespero em Venezuela. Temendo a rua ocupada por um povo martirizado  a boliburguesia ultrapassa mais uma vez a Constituição e a directivas da comissão inter-americana de direitos humanos,  e autoriza a força letal para evitar as manifestações.

El nuevo modelo de control militar viola los preceptos de la Constitución venezolana y los tratados internacionales

A Maduro se le va más la olla y autoriza por decreto el uso de armas mortales contra todos los manifestantes


"uso de la fuerza potencialmente mortal, bien con el arma de fuego o con otra arma potencialmente mortal", como último recurso para "evitar los desórdenes, apoyar la autoridad legítimamente constituida y rechazar toda agresión, enfrentándola de inmediato y con los medios necesarios".

Como a tropa não tem treino para controlar civis, mas pode actuar já, vai ser feita formação:
"girarán instrucciones para la elaboración del ‘Manual de Normas y Procedimientos Operativos del Servicio de Seguridad en Materia de Orden Público de Uso Común para las y los Integrantes de la Fuerza Armada nacional Bolivariana".

Entretanto 100 000 cubanos estão em Venezuela. Cerca de 4000 controlam o exército e os serviços de informação. Mais de 20 000 têm treino militar para intervir caso parte do exército decida colocar um fim a esta experiência dramática, ou melhor pesadelo, do comunismo bolivariano. 

O regime está podre e mais se assemelha a uma quadrilha a tomar conta de um país. Parte das elites militares e políticas, incluindo Diosdado Cabello e Elias Juha estão associados ao narcotráfico. 

1 comentário:

José Jesus disse...

O doido tem o pajarito chiquitito na cabeça? :-)