fevereiro 23, 2015

Quando se desfila pela liberdade de expressão nas ruas da Europa ...

... mas depois se ouvem clérigos muçulmanos vomitar ódio por toda a Europa, se cancelam desfiles de carnaval por ameaças corânicas, se esconde que o funeral dos terroristas que mataram no norte da Europa estava cheio de apoiantes dos mesmos e logo de seguida se faz propaganda a uma "iniciativa de paz" envolvendo meia dúzia de muçulmanos (entre muitas dezenas de pessoas), sabemos que há um clima doentio no ar e uma negação ostensiva da realidade.


E a liberdade de opinião é tanta que Brigite Bardot está de novo na barra do Tribunal por "insultar o Islão" e por "racismo": os radicais islâmicos não são apenas os que empunham as metralhadoras, são também quem ajuda à limitação ostensiva dos direitos e liberdades que o islão trouxe à Europa pela intimidação, pela aplicação da Justiça com dois pesos e duas medidas, pela ocultação de crimes dos muçulmanos (violação, tráfico de droga e armas, agressões, milícias urbanas, apologia do terrorismo, discurso de ódio, racismo contra os autóctones) ou pela sua insistente desculpabilização.

1 comentário:

José Jesus disse...

A Imprensa só a muitíssimo custo se atreve a proferir, sequer, palavras como Islamismo, Jihadismo, quando o terrorismo e o crime trazem a marca da "Religião da Paz".

O 5º poder está acagaçado, com medo que algum Coulibaly (ou como raio se chamava o terrorista) entre por ali adentro e lhes limpe o sarampo.

Se não foram os políticos a tomar a iniciativa, a paciência da população europeia esgotar-se-á, e infelizmente teremos uma guerra civil. Deus permita que não...

José de Jesus